hiperatividade infantil
Publicado em: 29/12/2017

Hiperatividade Infantil

Atualmente considera-se hiperatividade infantil é quando a criança apresenta um excesso de agitação comparada a outras crianças, porém, há uma banalização referente a este diagnóstico e muita polêmica a respeito dela, pois a nova geração de crianças já apresentam uma agitação natural, o que é perfeitamente compreendido pelo estilo de vida moderno que gera um estímulo excessivo ao cérebro, seja ele tecnológico ou visual. Além disso, o uso de complexos de vitaminas cada vez mais modernas, fazem com que as crianças tenham uma super estimulação, já na gestação. Fatores como alimentação e uso rotineiros de remédios, também são fatores que influenciam nesta nova realidade. Assim, é preciso cuidado no diagnóstico de crianças e na prescrição de medicamentos que causam dependência química e desequilíbrios físicos.

 

Mas antes de inserir estes medicamentos a rotina da criança, é preciso saber que existem outras saídas naturais e sem efeitos colaterais, como a acupuntura, o tratamento homeopático é uma delas, temos hoje uma série de medicamentos estudados pela matéria médica que podem tratar com sucesso os desequilíbrios, a Rodhiola Rosea é uma delas, capaz de aumentar o nível de concentração e memória, sem nenhum efeito colateral, como relata a Psicóloga Terapeuta Homeopata Simone Coelho, é um recurso barato, sem contra indicação e com efeitos surpreendentes.

 

Além das homeopatias, a prática de esportes pode ajudar no controle da agitação, além de moderação com o uso de tecnologias, é importante o incentivo a socialização com outras crianças, propiciar momentos de reunião com pais e irmãos, é sempre importante incentivar a criança para que seja inserida no meio ambiente, e se sinta participante ativa. Podemos verificar muitas vezes que a hiperatividade está ligada a dificuldades emocionais não conhecidas, por isso uma alternativa é buscar uma psicoterapia infantil, pois os conteúdos lúdicos do tratamento ajudam a revelar emoções reprimidas e percepções que não são percebidas, através das técnicas lúdicas.  

 

Os florais e fitoterápicos indicados por terapeutas experientes, também podem ajudar muito no processo. Mas sempre é importante observar a agitação e os sinais que as crianças emitem, pois esta geração demanda muita atenção e parecem ser mais evoluídos do que as gerações pregressas, que eram mais reprimidas e sofriam menos estímulos do ambiente.

 

O fator mais importante é observar o ambiente em que estas crianças estão, ou seja, os tipos de relações familiares, interação com os pais, avós e outros parentes, bem como a observação do comportamento na escola, fora do ambiente familiar, esses dados podem ser de extrema importância para saber se sua criança tem hiperatividade infantil.

Aproveite para brincar com seus filhos, participar ativamente da vida deles é fundamental para compreender as causas. E antes de partir para o remédio químico que é tóxico, o ideal é tentar os métodos naturais e preservar a saúde do seu filho, sempre.